COMUNICADO AOS UTENTES

-Uso obrigatório de máscara
-Controle de temperatura corporal
-Cumprimento sinalética chão
-Proibida entrada acompanhantes

RETOMA GRADUAL DA ACTIVIDADE

Com o fim do estado de emergência, e o início da situação de calamidade, bem como com a publicação do despacho da Ministra da Saúde de 2 de Maio, que determina a retoma da actividade programada, quer de consultas, quer de cirurgias, estão criadas condições, também na Clínica da Niza para que se inicie um processo de retoma gradual da actividade assistencial. 

Este vai ser um processo complexo pois não voltaremos de imediato ao funcionamento anterior à pandemia COVID-19. A pandemia ainda está presente, e em evolução, pelo que nos impõe regras muito estritas que todos teremos de observar, pelo que a retoma da actividade vai ocorrer num contexto de grandes restrições, que nos irão impor limites. 

Será dada prioridade às situações clínicas urgentes.

Iremos dar, conforme orientação do Ministério da Saúde e da Direção Geral de Saúde, grande ênfase nesta fase através da tele-medicina, por teleconsulta e/ou vídeo-consulta, dado que se pretende restringir as deslocações e o contacto social.         

Iremos tentar recuperar marcações das agendas que foram canceladas, bem como das agendas que ainda se encontram abertas. 

Para a realização das consultas presenciais, com marcação prévia, será respeitado a hora de início, serão mais espaçadas que as atuais, de forma a garantir o menor cruzamento possível entre utentes, e para que não haja congestionamento na sala de espera, bem como para permitir a necessária higienização dos gabinetes entre consultas.

Estas medidas acarretam inevitavelmente um menor número de consultas presenciais.

No actual contexto pandémico teremos condicionantes no acesso às instalações, como forma de garantir a segurança de todos, nomeadamente para evitar congestionamento de pessoas nos espaços interiores e garantir o necessário distanciamento social.  

ASSIM TEREMOS:

  1. Controle de entrada com avaliação da temperatura corporal.
  2. Uso obrigatório de máscara.
  3. Limitação da entrada à capacidade das instalações de modo a que permita cumprir o distanciamento social.
  4. Só será permitida a entrada 15 minutos antes do ato agendado, e não será permitida se houver atraso superior a 10 minutos.
  5. Não será permitido a entrada de acompanhantes excepto para crianças ou pessoas com dificuldade de locomoção.
  6. A circulação nas instalações será estritamente limitada à realização dos actos agendados.
  7. Haverá circuitos assinalados, bem como marcas no chão, para assinalar e garantir o distanciamento, que deverão ser respeitados.
  8. O tempo de permanência na sala de espera será reduzida ao mínimo possível.

Com segurança estamos confiantes em disponibilizar, de forma gradual, a assistência que todos desejamos e estão habituados, e que a pandemia veio drasticamente limitar.

Lisboa, 9 de Maio de 2020

A Gerência